• Redação

Visconde do Rio Branco: Padre que desejou morte de fiéis que não vão às missas é afastado



O motivo do afastamento não foi informado. Agora, está a frente da paróquia o reverendo Vigário Forâneo, Pe. Renato César Stampini Oliveira, que entra imediatamente no exercício desta função.


O padre Antônio Firmino Lopes, responsável pela paróquia de São João Batista, em Visconde do Rio Branco-MG, foi afastado do ministério sagrado e de qualquer outro ofício ou encargo eclesiástico, por tempo indeterminado. O comunicado foi emitido pela Diocese de Leopoldina na última sexta-feira (12).


Um vídeo publicado pela igreja católica de Visconde do Rio Banco, em agosto do ano passado viralizou nas redes sociais depois que o padre responsável pela paróquia fez uma declaração polêmica, no domingo (23/08/2020), sobre fiéis que não têm comparecido às missas.


O pároco responsável pela Paróquia São João Batista, Antônio Firmino Lopes, declarou durante o sermão da missa que desejava a morte dos católicos que escolherem ir à igreja apenas quando houver vacina contra o novo coronavírus.


Na terça-feira (25/08/2020), após a repercussão do vídeo, o padre fez uma retratação através da página da Diocese de Leopoldina e considerou o episódio como “um comentário infeliz” e pediu desculpas pelo ocorrido.


Durante a missa transmitida em live no domingo, ele se mostrou revoltado com o não comparecimento dos fiéis que optaram por não se arriscarem a comparecer no templo como forma de respeitar as determinações de isolamento social no enfrentamento ao novo coronavírus.

Agora, quase um anos e três meses depois, padre foi afastado do ministério. O motivo do afastamento não foi informado, está a frente da paróquia agora o reverendo Vigário Forâneo, Pe. Renato César Stampini Oliveira, que entra, imediatamente no exercício desta função.


Fonte e imagem: primeiroasaber.com.br