• Redação

Prefeitura de JF lança edital de concurso público com 630 vagas



A prefeita Margarida Salomão (PT) assinou, nesta sexta-feira (10), quatro editais que vão permitir a realização de um concurso público para a contratação de 630 profissionais para a rede municipal de Juiz de Fora.


Os cargos a serem preenchidos são de professor, coordenador pedagógico e secretário escolar. Os quatro editais serão publicados no Diário Oficial Eletrônico do Município neste sábado.


Um dos editais traz a previsão para a seleção pública que visa a contratação de 343 profissionais para o cargo de Professor Regente A (PR-A), que ministra aulas para a educação infantil até o quinto ano do Ensino Fundamental. Outro trata do concurso para a contratação de 248 pessoas para o cargo de Professor Regente B (PR-B), para os anos finais do Ensino Fundamental. Serão oferecidas vagas para as especialidades de arte, ciências, dança, educação física, geografia, história, inglês, matemática, língua portuguesa, libras, música e teatro. Os outros editais tratam de 34 vagas para coordenador pedagógico e cinco para secretário escolar.


Segundo a Prefeitura, as inscrições para o concurso começam no dia 14 de março e vão até o dia 18 de abril de 2022. O valor varia de R$ 80 para os cargos de professor regente A e secretário escolar; até R$ 100 para os candidatos às vagas de professor regente B e coordenador pedagógico. Ao todo, serão quatro etapas: prova objetiva de múltipla escolha, prova discursiva, prova prática e avaliação de títulos. As provas da primeira etapa serão realizadas entre os dias 22 e 29 de maio.


A realização de um concurso público para a recomposição do quadro efetivo do magistério municipal é aguardada pela categoria desde 2008. “Este concurso especialmente era uma forte demanda da área de educação em Juiz de Fora. Não há condições de avançar na qualidade da educação oferecida se você não tiver uma profissionalização dos trabalhadores da educação. Se não houver um processo sistemático de recrutamento, se não houver carreira, políticas públicas que excedam essas situações conjunturais, nunca vamos ter de fato a construção da pedagogia com a qual todos sonhamos”, afirmou a prefeita.


Fonte: Tribuna de Minas