• Redação

Policiais militares são presos em JF após troca de tiros


PM levava a vítima para o hospital na viatura, quando encontrou a ambulância do Samu minutos após sair do Bairro Granjas Betânia, local da ocorrência (foto: Redes sociais/Reprodução)


Dois policiais militares, de 36 e 39 anos, foram presos em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira, no fim da tarde de terça-feira (4/1), após se envolverem em uma troca de tiros que resultou na morte de um homem de 37 anos. A Polícia Civil disse nesta quarta-feira (5/1) que vai investigar o caso.


A hipótese inicial é de que o homicídio tenha ocorrido em legítima defesa. Outros três indivíduos, de 20, 41 e 48 anos, também terminaram detidos. Questionado nesta quinta-feira se os militares continuam presos ou se foram ouvidos e liberados, mas não houve retorno até a publicação deste texto.


Conforme o registro da ocorrência policial, um militar de folga acionou as autoridades e, segundo informações de uma fonte repassadas a ele, indivíduos armados estavam dentro de uma residência abandonada, na Rua Avelino Jacob, no Bairro Granjas Betânia – local que, conforme as autoridades policiais, é frequentemente usado como ponto de refúgio para criminosos.


Assim que chegaram ao local alvo da denúncia, os militares visualizaram o indivíduo de 48 anos se aproximando da entrada do imóvel. Ao avistar a viatura, ele “correu para uma das entradas, tentando fechar o portão e continuar a fuga”, aponta o Registro de Eventos de Defesa Social (Reds) da PM. Ao ser capturado, os policiais encontraram cinco pedras de crack com ele.


Durante a incursão no imóvel abandonado, os policiais também apreenderam porções de maconha e cocaína. Outros três indivíduos, vendo a aproximação policial, iniciaram a fuga por uma mata nos fundos da casa. Inicialmente, um deles, de 41 anos, foi capturado e, após busca pessoal, nada de ilícito foi encontrado. Os outros dois – armados, segundo a polícia – foram vistos acessando a Rua José Irineu dos Reis, no mesmo bairro.

Naquele momento, os autores desobedeceram a ordem de parada e reagiram apontando armas na direção da guarnição. Conforme o Reds da PM, “os militares ouviram um estampido de arma de fogo” e revidaram a “injusta agressão”, momento no qual o indivíduo de 37 anos foi baleado no tórax e caiu na via, derrubando um revólver de calibre 38.


O jovem de 20 anos que o acompanhava conseguiu fugir, mas acabou sendo capturado após patrulhamento no entorno.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e prestou os primeiros socorros ao homem baleado, que morreu a caminho do hospital.

O delegado Rodrigo Rolli disse nesta quarta-feira (5/1) que a autoria do disparo que matou o indivíduo ainda é incerta. "Somente os laudos periciais poderão elucidar melhor a dinâmica dos fatos", pontua o titular da Delegacia Especializada de Homicídios do município.

“Os dois policiais afirmam que efetuaram disparos. As armas deles foram apreendidas e vão passar por perícia com a finalidade de identificar de qual delas partiu o projétil que acertou a vítima. Somente com o laudo de balística será possível identificar o autor”, explica o delegado.

Segundo Rolli, a viatura policial também será periciada, já que há marca de tiro em uma das placas. “Pode ser que tenha sido um caso de legítima defesa. De todo modo, o inquérito será encaminhado ao Poder Judiciário, que optará ou não pela responsabilização criminal do policial”, finaliza.



Fonte: Estado de Minas