• Redação

Cidade mineira registra o banho de cachoeira como Patrimônio Cultural



Bueno Brandão, no Sul de Minas, tem várias cachoeiras que atraem turistas e também a população local ao longo do ano. E para salvaguardar esse hábito arraigado na identidade bueno-brandense, o banho de cachoeira foi registrado como Patrimônio Cultural da cidade. De acordo com a prefeitura, o registro é inédito no Brasil.


O dossiê, produzido pelo Departamento de Cultura em parceria com a consultoria AME Cultura, foi aprovado no dia 12 de novembro, em reunião realizada pelo Conselho do Patrimônio. O banho de cachoeira foi registrado no livro dos Saberes como uma prática sociocultural fortemente arraigada no cotidiano e na identidade bueno-brandense.


“Para preparar esse registro, tivemos o envolvimento da população, proprietários de terras onde estão cachoeiras, empresários do setor turístico. Esse tipo de registro é algo inédito em Minas Gerais e no Brasil. Como estamos em um estado onde os cursos de água e montanhas se relacionam tão bem e representam tanto para nossa história, cultura, economia, para nossa vida, esse registro está valorizando não apenas uma tradição local, mas um elemento cultural muito marcante para Minas Gerais”, explica o diretor do Departamento de Cultura, Gerson Rossi.


Bueno Brandão é conhecida como a “Cidade das Cachoeiras”. São mais de 30 quedas d’água de diferentes proporções. O costume de tomar banho nessas águas atrai não somente a população, mas inúmeros visitantes anualmente. Moradores e turistas usam as cachoeiras como espaço de sociabilidade, meditação, contato com a natureza, cenário para fotografias e também para a prática dos esportes de aventura, como o cascading.


“Salvaguardar essa prática sociocultural é uma forma de manter os mananciais d’água ativos e com volume de água suficientes e próprios para banho, sem contaminação química ou biológica, além de motivar a regulação da ocupação consciente do solo de forma harmônica com o bem cultural, assim como proteger as nascentes e as matas ciliares que formam importantes corredores ecológicos, promover a difusão e a educação patrimonial sobre a importância de proteger o bem, e ainda garantir às gerações futuras a recriação constante desse Saber”, diz a nota da prefeitura.


Patrimônio Cultural trata-se de tudo aquilo que possui importância histórica e cultural para um local, como manifestações populares – festas e danças –, arquitetura, culinária, entre outros. Já Patrimônio Natural compreende áreas de importância preservacionista e histórica – que transmitem à população a importância da natureza.


Embora seja comum ver o registro de cachoeiras como Patrimônio Natural, Bueno Brandão também quis reforçar a importância cultural da utilização desse espaço que, segundo a prefeitura, “evoca práticas milenares, que envolvem rituais de purificação do corpo, da alma e também saberes médicos, científicos, sanitaristas e hábitos culturais”.


Fonte: msn.com

Foto: Prefeitura de Bueno Brandão/divulgação